Como o seu negócio se monetiza ou planeja se monetizar? Selecionamos 11 maneiras de monetizar o seu produto ou serviço.

É muito comum no mundo do empreendedorismo haver dúvidas de como cobrar por um novo produto ou serviço de forma que ele gere receita e sustente o negócio. Às vezes você até chega no preço do seu produto, mas como vender ele para o cliente em formatos em que faça sentido para solução mas também para a realidade de quem consome, usa ou paga o produto? É aí que entram os modelos de monetização e você pode usar um ou mais deles.

O que são modelos de monetização

De forma simples, o modelo de monetização é a forma como a empresa vai gerar receita, ou seja, como ela vai cobrar pelo seu produto ou serviço.

São dezenas de modelos para tornar o seu negócio rentável e a cada dia esse sistema evolui, surgindo assim novas possibilidades de monetização com o passar do tempo. Normalmente, uma empresa tem mais de uma forma de monetizar sua operação e ser rentável (incluindo os negócios de impacto) e listamos aqui 11 dos modelos mais encontrados atualmente. Confira a lista!


1) Assinatura

É um modelo de monetização recorrente que acontece quando a empresa fornece um produto ou serviço regularmente e cobra do cliente um valor periódico (mensal, bimestral, semestral ou anual). Exemplo desse modelo são as assinaturas de jornais, sistemas de streaming como Netflix HBO Go e serviços como tv a cabo.

2) Venda direta única

É a venda de um produto ou serviço realizado de uma única vez para o consumidor. A venda mais comum quando se trata de bens de consumo como um aparelho eletrônico, eletrodoméstico, livros, etc. Não há uma recorrência atrelada a venda. Pode ser que o cliente volte várias vezes ou nenhuma.

3) Venda direta recorrente

Conhecido também como receitas recorrentes, é quando o negócio oferece produto ou serviço recorrente que demanda pagamentos periódicos (geralmente mensais). Exemplos: streaming, assinaturas, serviços mensais (academia, internet, telefone).

4) Publicidade

Esse modelo consiste em disponibilizar um espaço para divulgar algo (marca, campanhas, vendas etc.), podendo ser por meio digital (site, app, portal) ou offline (outdoor, painéis, revistas etc). Esse modelo é muito utilizado em sites que contém banners de vendas, sites de produção de conteúdo (venda de publiposts) e aplicativos (sabe aquelas propaganda que pulam na frente do seu app free? É o jeito dele monetizar!).

5) Micropagamentos (ex: modelo freemium, apps com destravamento de funções, games, etc.)

Sabe aquele joguinho que você comprou um item para melhorar seu desempenho? Isso é um micropagamento. São valores únicos que o usuário paga para ter acesso a uma função, item especial, mais opções do aplicativo, plataforma etc. Muito utilizado em aplicativos e plataformas de modelo freemium (que pode ser utilizado de graça, mas com menos funções) e games.

6) Comissão / Success fee

A comissão ou pagamento por taxa de sucesso consiste no recebimento de um determinado valor de acordo com o sucesso do fechamento de uma venda . Por exemplo, o Sympla Disponibiliza uma plataforma na qual o usuário pode oferecer eventos pagos. Quando esse usuário obtém sucesso, a plataforma recebe uma porcentagem do valor total dessa venda.

7) Licenciamento de marca e produtos / franquia

É a disponibilização da sua marca para fins de comercialização de produtos ou serviços realizada por terceiros. Enquanto a franquia é uma concessão do uso para outros empreendedores exatamente com o mesmo modelo de negócio que a fornecedora (como Cacau Show, Boticário e McDonalds) o licenciamento é a licença de usar o nome ou imagem da marca (ou de algum produto seu) para comercializar um produto ou serviço (Exemplo: C&A utilizando imagem de personagens da Disney em suas peças).

8) SAAS Software as a service (software como serviço)

O Software como Serviço são aplicações online, que podem ser usadas remotamente em diversos dispositivos, mas que para acessá-la você precisa pagar por uma licença de produto. Exemplos desse modelo são ferramentas de gestão e marketing como Salesforce, SAP, Spotify, Mailchimp, etc. Ele pode ser uma assinatura ou a compra única de um software, mas é um modelo específico do mundo digital.

9) AIAS Artificial Inteligence as a Service (inteligência artificial como serviço)

É a venda de ferramentas de Inteligência Artifical (como Machine Learning, mineração de conhecimento, identificação de comportamentos etc.) como um serviço – muitas vezes anexado a algum outro software, como um IaaS ou SaaS, que te ajuda a utilizar aquela inteligência.

10) IAAS Infrastructure as a service (infraestrutura como serviço)

A Infraestrutura como Serviço (IaaS) é uma das categorias da computação em nuvem que fornece armazenamento, rede e outros recursos via internet, permitindo que empresas utilizem bancos de dados, sistemas operacionais etc. sem a necessidade de gerar uma estrutura física, dar suporte ou gerenciamento (tudo isso é feito pelo fornecedor IaaS). A monetização se dá por mensalidades ou anuidades, geralmente, mas é também um modelo de negócio/monetização específico desse mundo digital. Exemplos: Amazon Web Services, Microsoft Azure.

11) PAAS Platform as a service (plataforma como serviço)  

Mais um dos braços da computação em nuvem, o PaaS fornece um ambiente de desenvolvimento e implantação de sistemas em nuvem, possuindo além do recurso de infraestrutura, serviços de BI, gerenciamento, banco de dados e permite compilação, teste, implantação, gerenciamento e atualização do aplicativo em questão. Monetizado por compra de licença de utilização (variando por ferramenta, número de usuários etc.)