Precisando de um dinheiro para dar iniciar a nova solução ou seu novo negócio? Conheça 4 tipos de financiamento possíveis para fazer isso acontecer!

Tirar uma ideia do papel não é fácil, ainda mais se você quer transformá-la em um negócio. A jornada é longa, são várias etapas pelo meio do caminho, mas um obstáculo é certo a todos os empreendedores: financiar o crescimento do seu negócio. Seja para iniciar o negócio, criar um novo produto, desenvolver a equipe, estruturar a operação, essa demanda vai aparecer e a dúvida se deve-se captar recursos e como conseguir o dinheiro vai surgir.

E para te ajudar na decisão de qual recurso faz mais sentido para o seu caso, listamos 4 exemplos de como conseguir esse dinheiro, que vão também te ajudar no preenchimento do cadastro do seu negócio na nossa Vitrine (se você ainda não conhece nossa vitrine de negócios de impacto, já clica aqui!).

Você vai perceber na lista que uma fonte de financiamento pode se repetir em mais de um modelo (por exemplo, um amigo pode te emprestar um dinheiro ou doar – a fonte é a mesma, mas as maneiras de trabalhar o recurso serão diferentes). Pode parecer confuso no início, mas é completamente normal, pois cada fonte pode trabalhar com mais de um modelo e decidir qual o mais viável e aplicável para cada situação.  Confira agora as 4 maneiras de captar investimento para sua solução!

Recursos não reembolsáveis e doações

O que é

O recurso não reembolsável/doação é um recurso que um agente entrega para o empreendedor sem nenhum compromisso de futuro pagamento ou troca. Pode-se exigir em contrapartida relatórios de impacto e acompanhamento de uso, mas não envolve dívidas financeiras ou equity.

Quais são as fontes possíveis

Essas recursos podem ser disponibilizados por diversos meios e por diferentes atores, como, por exemplo, amigos, familiares, fãs da marca, plataformas de crowdfunding,fundações e institutos, incubadoras e aceleradoras,, instituições governamentais, universidades, etc.

Empréstimo

O que é

Um empréstimo é um acordo feito entre você e o banco ou agente financeiro, onde a empresa ou pessoa recebe uma determinada quantia com a promessa de repagar no futuro, acrescido juros e, muitas vezes, em parcelas pré-definidas.

Quais são as fontes possíveis

O empréstimo pode vir de muitas formas: recursos do próprio fundador, pessoas próximas ao negócio (amigos, família),,, bancos comerciais ou de fomento, instituições pública, governo, fundos de impacto (SITAWI, Yunus, Bem-te-vi), etc.

Dívida Conversível em Participação

O que é

A dívida conversível em participação é um instrumento que permite ao investidor do recurso  receber uma participação futura do negócio investido. O investidor recebe o direito de se tornar sócio quando e se quiser, no futuro, sempre de acordo com o contrato feito. Para o empreendedor significa que ele poderá receber o valor necessário para melhorar seu negócio e o pagamento dessa dívida não será realizado por forma monetária direta, ou seja, não precisará mexer em seu caixa. O mecanismo é como um empréstimo, mas o pagamento é via equity.

Quais são as fontes possíveis

Essa forma de financiamento pode ser realizada por recursos próprios dos fundadores, socioinvestidores, investidor-anjo, crowdequity, crowdlending, fundos de venture capital e private equity, empresas privadas, incubadoras e aceleradoras, instituições públicas e de governo, bancos multilaterais e de fomento e mecanismos de crédito de impacto .

Participação (equity)

O que é

Equity é o termo em inglês para participação acionária. Por meio desse mecanismo, investidores aportam recursos financeiros em troca de participação na empresa. Ou seja, se tornam sócios do negócio investido. Isso significa que o investidor é remunerado não por meio de juros, como é no empréstimo, mas por distribuição de lucros ou pela eventual venda de sua participação na empresa.

Quais são as fontes possíveis

Essa forma de financiamento pode ser realizada por recursos próprios dos fundadores, sócio-investidores, investidor anjo, crowdequity, crowdlending, fundos de venture capital e private equity, empresas privadas, incubadoras e aceleradoras.

Se você quiser mais informações sobre esses mecanismos e descobrir se o negócio está preparado para receber recursos de investidores de impacto, leia o nosso estudo completo, o Scoring de Impacto. Lá você também encontra não só detalhes sobre os mecanismos e fontes como o perfil do investidor de impacto no Brasil e o que eles esperam de um negócio quando vão investir. Uma publicação super completa que vai te ajudar muito a se aprofundar no tema!