O mais recente relatório sobre o panorama do setor de investimentos de impacto na América Latina foi lançado em agosto deste ano pelos atores globais: Aspen Network of Development Entrepreneurs (ANDE), Latin American Private Equity & Venture Capital Association (LAVCA). Neste relatório há uma análise de tendências gerais de captação de fundos, operações e saídas, com enfoque especial no desenvolvimento de potenciais empreendimentos, assistência técnica, mensuração de impacto, talentos e gênero na América Latina.

Além disso, o estudo identificou que 78 empresas que fizeram investimentos de impacto na América Latina entre 1997 e 2016. Sendo que existem atualmente 28 investidores de impacto sediados na América Latina que juntos  administram US$1.2 bilhões de ativos sob gestão (AUM).

Aproximadamente 80% dos participantes da pesquisa fizeram seu primeiro investimento depois de 2007. Eles relataram que a negociação de investimentos de qualidade, a obtenção dos retornos esperados e a captação de fundos são os maiores desafios para a indústria. Mas, de maneira geral, os participantes da pesquisa estão otimistas com relação a 2016, antecipando o levantamento de US$ 2,4 bilhões globalmente e investimento de US$ 796 milhões em mais de 336 transações.

O investimento de impacto cresceu entre 2014 e 2016 no Brasil, o estudo relatou que o número de investidores de impacto ativos no país que responderam o estudo, aumentou de 22 para 29. O total de ativos sob gestão de organizações locais é de US$ 186 milhões. Em 2014, o valor era de US$ 177 milhões. Sim, o mercado brasileiro de investimentos de impacto cresceu nos últimos dois anos, mas a uma taxa menor do que a esperada pelos investidores.
Para conferir o estudo completo: RELATÓRIO DO SETOR DE INVESTIMENTO DE IMPACTO NA AMÉRICA LATINA